Tecnologia
BlueSky-Netwok-Satélite de comunicação e dados 3 aplicações que você não conhece-blog

Satélite de comunicação e dados: 3 aplicações que você não conhece

Já imaginou como seria um mundo sem satélite de comunicação, monitoramento e coleta de dados? As mais diversas atividades do seu cotidiano estão ligadas a esse equipamento, de forma direta ou indireta.

Até as atividades mais comuns do seu dia, como assistir TV, previsão do tempo e internet banda larga, por exemplo, só são possíveis pelos satélites de comunicação e outros tipos [explicamos mais sobre eles aqui].

Os satélites de comunicação, monitoramento e coleta de dados são fundamentais para o avanço da tecnologia em diversos setores, mas, mesmo assim, a maioria das pessoas não sabem como eles funcionam e a importância dele.

Das tarefas mais básicas (como usar a internet) à mais avançada (como fazer a gestão de uma frota inteira), os satélites estão envolvidos, trazendo avanços inestimáveis e possibilitando alcançar novas fronteiras que seriam impossíveis com outras tecnologias.

Os satélites de comunicação, monitoramento e coleta de dados solucionam problemas que são de profundo interesse na sociedade, como os relacionados à defesa civil, por exemplo.

Hoje, vamos mostrar 3 aplicações do satélite – e pode ser que você ainda não tenha ouvido falar sobre eles. Confira!

 

1 – Gliders

Os gliders, também chamados de planadores subaquáticos, são drones ou submarinos não tripulados. Eles são autopropulsados e capazes de planar na água dos oceanos, usados para revolucionar a pesquisa no oceano.

Esses veículos submarinos geram deslocações verticais por meio de mudanças na flutuação, que se convertem em oblíquos com a ajuda de um tipo de asa.

O glider vai para o mar, coleta dados oceanográficos pelos sensores, surge na superfície e manda essas informações via satélite.

Alguns dos dados coletados são:

– Temperatura da água;
– Salinidade;
– Velocidade das correntes;
– Oxigênio dissolvido, entre outros.

Depois que o glider sobe e transmite essa informação, recebe uma nova coordenada, mergulha novamente e assim sucessivamente.

Esse é um equipamento inteligente, monitorado à distância, que permite um acompanhamento das movimentações que estão acontecendo no mar.

Os gliders podem mergulhar em até 1000 metros e percorrer milhares de quilômetros. Isso significa que eles permitem obter informações dos lugares mais remotos com baixo custo.

 

2 – Caminhões por satélite

O carro inteligente ainda está chegando e, por enquanto, só é realidade de grandes montadoras; mas para setores específicos, como na mineração, por exemplo, essa aplicação já é uma realidade.

Um exemplo é a mineração no Chile; lá, a mineração já conta com caminhões controlados por satélites, sem motoristas, fazendo o percurso de carga e coleta dos minerais automaticamente com coordenadas satelitais.

A verdade é que grandes montadoras já estão enxergando a tecnologia autônoma como um investimento real e necessário.

Um grande exemplo é a mineradora Vale que, entre 2017 e 2018, aumentou em 26% o volume de minérios carregados na jazida de Brucutu (MG) por causa dos caminhões autônomos guiados pelo GPS.

Esses caminhões são guiados pelo satélite de comunicação e monitoramento, já que esse modelo de coordenada é mais eficiente por ter a vantagem de uma cobertura completa, sem pontos de sombra.

As coordenadas, feitas por meio de um sistema com central de comando à distância, permite um procedimento que dispensa a interferência do homem no transporte.

Para que isso seja possível, os caminhões são guiados por GPS, Radar, Inteligência Artificial e Satélite de Comunicação e Monitoramento.

 

3 – Torres Eólicas

As torres eólicas precisam estar espalhadas em um lugar que tenha boa quantidade de vento, que sejam contínuos e que tenham força para fazer um campo de torres eólicas produzir uma certa quantidade de energia.

A produção precisa ser mensurada e a melhor maneira de fazer isso é coletando os dados dessa torre (quantidade de giros, velocidade, posição etc.) para gerar informações que calculem a quantidade de energia produzida.

É necessário acompanhar também as questões climáticas, prevendo se um campo vai produzir menos ou mais energia em um determinado dia por conta das variações.

São sistemas complexos que fazem todo esse cálculo, permitindo descobrir quantos quilowatts de energia o campo está produzindo.

Nesses casos, por exemplo, o satélite é fundamental. Não vemos torres eólicas nos grandes centros, porque não existe área o suficiente para que elas funcionem, é preciso um espaço maior.

Nesses espaços, a infraestrutura GSM não chega, mas tem a cobertura por satélite da BlueSky.

 

Nova tendência das torres eólicas

Uma tendência de uso de torres eólicas, que tem apresentado uma grande oportunidade para geração de energia, é o offshore.

O offshore tem se tornado uma opção mais viável para a energia renovável, que já é muito utilizado pelo Reino Unido, Alemanha e China.

Isso se dá pelo desempenho das turbinas eólicas, que estão melhorando cada vez mais, principalmente na última década; isso significa maior eficiência na transmissão e maior captação de energia para determinados locais.

Mas a implantação da torre eólica offshore também só é possível graças ao satélite de comunicação e dados, que permite a coleta até mesmo nos lugares mais remotos do oceano (como você pôde comprovar pelo tópico dos gliders).

De informações da implantação até as informações de energias geradas, os satélites são os mais usados, por permitir uma cobertura completa e trazer informações de forma mais rápida.

 

Soluções de satélite de comunicação e gestão

Essas foram as 3 aplicações do satélite de comunicação, monitoramento e coleta de dados. Mas existem várias outras, que só são possíveis por meio dessa tecnologia.

O Iridium, por exemplo, tem mais de 60 satélites de baixa órbita espalhados pelo entorno do globo, que permite uma cobertura completa – é a maior cobertura MUNDIAL em tempo real.

O sistema da Blue Sky Network, que conta com os satélites Iridium, permite também o uso em diversos setores, como as frotas terrestres, marítimas e aéreas.

Atualmente, temos mais de 3 mil clientes que contam com essas soluções, que vão muito além de localização.

Proporcionamos a gestão de ativos com rastreamento, comunicações remotas e gestão de frotas em tempo real.
Isso significa ter acesso a uma solução completa, com um centro de comando e controle via satélite, baseado em nuvem, com comunicação e alerta de eventos automatizados.

A fabricação é internacional, com fábricas homologadas nos Estados Unidos, e com certificados de qualidade válidos no mundo inteiro.

Para saber mais sobre essas soluções, basta entrar em contato. Se quiser saber mais sobre uma outra aplicação que está se tornando tendência, não deixe de ler o nosso próximo artigo.

 

Postado por BlueSky Network Brasil

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *